domingo, 27 de junho de 2010

Um pouco mais sobre MOXABUSTÃO

É uma técnica terapêutica da Medicina Tradicional Chinesa, que se baseia nos mesmos princípios e conhecimento dos meridianos de energia trabalhados na acupuntura.
A moxabustão trata e previne doenças através de aplicação de calor em pontos do corpo humano, removendo e desobstruindo os bloqueios de energia e restabelecendo o seu fluxo saudável.

A moxa é preparada a partir da Artemísia (Artemisia Vulgaris e Artemísia Sinensis), uma erva perene comum. Suas folhas aromáticas são lavadas, secas, trituradas e peneiradas várias vezes até que fiquem macias e se transformem em uma massa uniforme, semelhante a uma lã vegetal. Após esse preparo ela pode ser moldada de diversas formas para a sua utilização: solta (lã), prensada (palito), enrolada (bastão), adesiva (cones), enrolada fina (cigarro) resinada (auricular), sem fumaça (com carvão) aromatizada (com carvão). As mais comuns são no formato de bastão e em cone.

Como funciona

A combustão da artemísia tem a propriedade de aquecer profundamente, tornando-a eficaz quando há menos circulação, condições frias e úmidas, além da deficiência do yang. A Artemísia tem o poder de extrair a energia Yang do Yin.
Quando aplicada aos pontos de acupuntura específicos à deficiência de yang, o corpo absorve o calor o máximo possível, recuperando o Qi (energia) do yang do corpo e o "fogo ministerial", a fonte de todo o calor e energia do corpo.
Para isso, basta acender a ponta do bastão ou cone de Moxa e mantê-lo cerca de um centímetro ­­da superfície da pele, porém a distância varia de acordo com a tolerância do paciente e da quantidade de estímulo térmico que se deseja. Normalmente o bastão (ou o cone) é queimado alguns segundos em cada ponto de Acupuntura até a pele ficar avermelhada e o local aquecido.
O calor do bastão de moxa também pode ser conduzido através da agulha de acupuntura, por aproximação da pele. Esse processo é tido como moxa indireta: implica em enrolá-la, colocá-la na ponta de uma agulha de acupuntura enquanto ela está no corpo, e acendê-la. O calor da moxa percorre o cabinho e a agulha e esta transfere o calor especificamente ao ponto desejado no corpo.
A moxabustão pode ser utilizada sozinha ou associada às práticas de acupuntura tradicional e ventosaterapia
.

Sua origem e história

A Moxabustão significa literalmente, “longo tempo de aplicação do fogo” e é uma prática originária do norte da China, cerca de 3.500 anos AC. e introduzida no Japão por volta do ano 265 DC., levada por monges japoneses, que estudaram na China - e segundo historiadores - teriam sido eles os responsáveis pela introdução da Terapia Tradicional Chinesa no Japão.
Embora tenha sido usada há milênios, foi registrada pela primeira vez em textos médicos durante a dinastia Song ou Sung, que governou os chineses de 960 a 1275 DC. É uma terapia importante na Medicina Tradicional Chinesa: os textos antigos dizem que a moxa deve ser usada se a acupuntura e as ervas não funcionassem na cura da doença.

Indicações

A moxabustão é tida como Yang puro, por isso serve para fortificar o Yang enfraquecido do paciente.

  1. Regula o Qi e o sangue.
  2. Auxilia na anemia, stress, cansaço físico e mental.
  3. Abre os doze canais (meridianos) principais de energia.
  4. Fortifica na convalescência, nas fraquezas (fadiga) crônicas, por obstrução do Frio e Umidade;
  5. Expele o frio e a umidade, colaborando nas afecções pelo Frio, as desordens do Yin.
  6. Minimiza os desconfortos da velhice e propicia uma longevidade saudável.
  7. Dispersa a energia perversa.
  8. Aumenta a energia defensiva.
  9. Realinha desordens ginecológicas e distúrbios sexuais.
  10. É eficaz no combate das doenças respiratórias como asma e bronquite, além de alergias.
  11. Também nos distúrbios digestivos como dores abdominais, indigestão, diarréia, náuseas, vômito.
  12. Cauteriza verrugas.
  13. Auxilia no alívio das doenças osteoarticulares, artrite, problemas da coluna.
  14. Aplicada em situações onde não é possível a utilização de agulhas.


Contra-indicações

  1. Em tratamento de doenças com quadro febril.
  2. Lesões traumáticas na pele.
  3. Em casos de problemas psíquicos.
  4. Em áreas próximas aos genitais, mamilos, couro cabeludo e rosto.
  5. Em crianças, sua aplicação deve ser avaliada com cuidado pelo profissional.
  6. Idosos muito combalidos.

Acupuntura

A acupuntura é uma tecnologia de intervenção em saúde, que aborda de modo integral e dinâmico o processo saúde-doença no ser humano. Pode ser usada isolada ou de forma integrada com outros recursos terapêuticos. Ela tem origem na medicina tradicional chinesa (MTC) e compreende um conjunto de procedimentos, que permitem o estímulo preciso de locais anatômicos definidos por meio da inserção de agulhas filiformes metálicas, para promoção, manutenção e recuperação da saúde, bem como para prevenção de agravos e doenças. Como uma das ferramentas da MTC, utiliza linguagem que retrata simbolicamente as leis da natureza e que valoriza a inter-relação harmônica entre as partes visando à integridade. Como fundamento, aponta a teoria do Yin-Yang, divisão do mundo em duas forças ou princípios fundamentais, interpretando todos os fenômenos em opostos complementares. O objetivo desse conhecimento é obter meios de equilibrar essa dualidade. Também inclui a teoria dos Cinco Movimentos, que atribui a todas as coisas e fenômenos na natureza, assim como no corpo, uma das cinco energias (madeira, fogo, terra, metal, água).
Sua origem e história

A história da acupuntura confunde-se c
om a história da medicina na China. Seus primórdios remontam à pré-história chinesa, cerca de 5.000 AC.. A linguagem escrita milenar permitiu a continuidade do conhecimento. Posteriormente, outros países orientais contribuíram para o desenvolvimento das técnicas de acupuntura. As notícias sobre acupuntura no velho mundo ocidental chegaram com os primeiros exploradores europeus, que visitaram o império Chinês, ainda na idade média. A denominação chinesa zhen jiu, que significa agulha (zhen) e calor (jiu), foi adaptada nos relatos trazidos pelos jesuítas no século XVII, resultando no vocábulo acupuntura (derivado das palavras latinas acus, agulha, e punctio, punção). O efeito terapêutico da estimulação de zonas neuro-reativas ou "pontos de acupuntura" foi, a princípio, descrito e explicado numa linguagem de época, simbólica e analógica, consoante com a filosofia clássica chinesa.

Como funciona

A Medicina Tradicional Chinesa parte do pressuposto que existe uma energia que permeia e dá vida a todos os seres. Esta energia, denominada, Qi, também se encontra nos seres humanos e circula no corpo através de 12 caminhos principais, denominados meridianos. A inserção de agulhas em determinados pontos destes meridianos faz a manipulação da energia Qi, para equilibrar as forças opostas do Yin e do Yang. Quando o Yin e o Yan estão em harmonia, o Qi flui livremente pelo corpo e a pessoa está saudável. Quando o indivíduo está doente, ferido, recém operado, ou se sente mal, tem conflitos emocionais, má alimentação ou outras dificuldades com o meio externo, significa que o fluxo da energia Qi está obstruído ao longo de um ou mais destes meridianos. Daí a inserção das agulhas na superfície cutânea, em pontos específicos – há centenas deles - para remover obstruções energéticas do Qi, prejudiciais à saúde, portanto, reparadoras do equilíbrio entre o Yin e o Yang. Dependendo da situação, essas agulhas podem ser giradas, aquecidas, estimuladas com correntes elétricas, ondas curtas, ultra som ou luz.

O diagnóstico do acupunturista

A acupuntura não trata a doença; e sim o doente.

Ela utiliza as técnicas baseadas na lei dos 5 elementos e a lei do Yin e Yang para a promoção do equilíbrio e harmonização dos ritmos energéticos do paciente. Uma meticulosa anamnese, com a apreciação da variação dos sintomas, mais uma análise profunda das alterações do pulso; da morfologia da língua; e o conhecimento de fatores etiológicos importantes na Medicina Chinesa, como o vento, o frio, o calor, o verão, a umidade, o seco e o calor de fogo são importantíssimos para o plano diagnóstico e terapêutico do acupunturista. Sobre a língua: A avaliação da língua, por exemplo, (cor, forma e saburra) possibilita avaliar a condição energética (Yin e Yang), dos órgãos e das vísceras.

Sobre o pulso: A avaliação do pulso (pulsologia) informa sobre o estado energético dos meridianos principais do corpo, evidenciando bloqueios ou deficiências. Esse exame permite identificar quais os procedimentos técnicos nos meridianos, que garantam a capacidade de adaptação energética do paciente às mudanças externas, como as climáticas sazonais, locais e etiológicas.

Indicações A OMS – Organização Mundial de Saúde recomenda a acupuntura aos seus Estados-Membros, tendo produzido várias publicações sobre sua eficácia e segurança, capacitação de profissionais, bem como métodos de pesquisa e avaliação dos resultados terapêuticos das medicinas complementares e tradicionais. O consenso do National Institutes of Health dos Estados Unidos referendou a indicação da acupuntura, de forma isolada ou como coadjuvante, em várias doenças e agravos à saúde. Além disso, uma pesquisa publicada no fim de 2006 na China, pelo jornal oficial China Daily, informou que a acupuntura pode tratar 461 doenças, a maioria delas relacionada ao sistema nervoso e imunológico, aos aparelhos digestivo e geniturinário, e aos sistemas muscular e ósseo, além da pele. O responsável pelo estudo, é o Dr. Du Yuanhao, do Centro de Pesquisa de Acupuntura Chinesa de Tianjin.

Ela é indicada:
1. Analgésica - Dor de qualquer origem, crônica ou aguda. 2. Antiinflamatória - Artrite e traumatismo 3. Relaxante muscular - Contratura muscular, torcicolo 4. Ansiolítica (calmante) - Insônia, stress, ansiedade, irritabilidade, síndrome de abstinência de dependência química 5. Antidepressiva (leve) - Angústia, depressão, irritabilidade 6. Broncodilatadora - Asma, enfisema, bronquite 7. Vasodilatadora - Anomalias circulatórias (arteriais), AVC (derrame cerebral), angina de peito, seqüelas do infarto. 8. Antiemética - Náuseas e vômitos de origem gastrointestinal, da gravidez e/ou pós-quimioterapia, constipação, gastrite, retocolite ulcerativa. 9. Cicatrizante - melhoria da circulação, escaras, acne, incisões cirúrgicas 10. Imunidade - Rinite, alergia, asma, herpes, sinusite 11. Odontalgias pós-operatórias, paralisia facial 12. Distúrbios hormonais – menopausa, impotência sexual, frigidez, infertilidade, TPM – tensão pré menstrual, distúrbios do crescimento.

Contra-Indicações A Acupuntura deve ser realizada por um profissional capacitado, pois, é um procedimento invasivo, que exige conhecimentos de anatomia e fisiologia. Não existem contra-indicações e nem efeitos colaterais, salvo eletro-acupuntura em pacientes portadores de marca-passo.

Conhecendo um pouco mais sobre VENTOSATERAPIA

É um tipo de terapia não invasiva, que tem como procedimento básico, a colocação de campânulas ou copos redondos de vidro sobre a pele, gerando a sucção do local, como ventosas. /p>

Como funciona

Estes copos, ou campânulas chamados de ventosas, são aquecidos internamente com fogo, que cria um vácuo pela queima do ar em seu interior. São imediatamente aplicados em áreas específicas do corpo, principalmente nas costas, ou em pontos dos meridianos, gerando uma força de sucção.
Seu principal efeito terapêutico é controlar a corrente sanguínea e tem como base a troca gasosa, visando limpar o sangue pela pele, já que a ventosa tem a mesma fisiologia da troca gasosa do pulmão e dos rins. Desse modo, eliminando os gases e toxinas estagnados no corpo pela pressão negativa produzida pelo vácuo, torna o sangue bioquimicamente equilibrado, com o pH das células homogeneamente estável.
Segundo a MTC – Medicina Tradicional Chinesa, as toxinas acumuladas pela sujeira da água, dos alimentos, ou emoções desequilibradas causam a estagnação do sangue coagulado, escuro, sujo, nos músculos das costas ou nas articulações, causando as doenças, daí a necessidade de retirá-lo para que a pessoa possa se restabelecer. É tida como o "Tratamento Negativo”, que consiste em trazer as células doentes do sangue, do interior do corpo para a superfície, através de fortes absorções. Este método recupera as células doentes.

Sua origem e história

Utilizada desde o antigo Egito, ela é também mencionada nos escritos de Hipócrates e praticada pelo povo Grego no século IV A.C.
O antigo instrumento utilizado para fazer ventosa era a cabaça. Pelos índios americanos era utilizada a parte superior do chifre dos búfalos para provocar o vácuo por sucção oral na ponta do chifre, sendo em seguida tamponado. Os antigos curandeiros conseguiam com seus poderosos músculos faciais e a agilidade, extrair com a boca, por sucção e logo cuspindo, o veneno das cobras, aliviando a dor e as câimbras no abdômen nos infectados.
O uso de ventosa no Oriente foi desenvolvido com base na acupuntura. Ela se fundamenta na crença de que a resistência contra a doença pode ser alcançada, induzindo o corpo a se curar pela aplicação de ventosas em pontos dos 12 meridianos ou em nódulos de reação positiva. O uso de ventosas no Ocidente antigo era um elemento terapêutico corriqueiro e de grande valor, pois na falta de outros elementos da ciência, a ventosaterapia era utilizada praticamente na cura de todas as doenças. A Europa desenvolveu a ventosa como conhecemos hoje, empregando o vidro.

Indicações

A aplicação da ventosaterapia no corpo traz extraordinários benefícios, não apenas físicos, como psíquicos.

É indicada:

  1. Controle do Sistema circulatório: fortalece a respiração da pele, dos vasos sanguíneos, facilita as trocas gasosas, a limpeza do sangue e o reequilíbrio do pH sanguíneo. Arteriosclerose.
  2. Evita infarto e derrame.
  3. Provoca o alívio de dores musculares, nevralgias, artrites, lombalgia e facilita movimentos articulares.
  4. Mantém a flexibilidade dos músculos e retira fibrosidades e adesões.
  5. Tem efeito relaxante e combate o stress e suas enfermidades.
  6. Terapêutica para gripes, resfriados, pressão alta ou baixa, dor de cabeça, asma, alergia.
  7. Auxilia no tratamento de gastrite.
  8. Acelera a digestão.
  9. Ativa a secreção hormonal.
  10. Associada à massagens, auxilia no tratamento de celulite.
  11. Trata intoxicação por substâncias químicas, remédios e gases.
  12. Auxilia na anemia, pois aumenta a vida útil dos glóbulos vermelhos.
  13. Indicada para doenças do rim e do fígado.
  14. Dá profunda sensação de bem estar e calma ao paciente.
  15. Melhora o estado geral de saúde do doente crônico.
  16. Pode ser aplicada em pessoas de todas as idades.


Contra-Indicações e efeitos

O método não apresenta efeito colateral, mas é contra-indicado em caso de suspeitas de hemorragias de qualquer natureza e gestante acima de sete meses.
Cada sessão de ventosaterapia dura cerca de 40 minutos e pode deixar hematomas, que desaparecem naturalmente em poucos dias.

terça-feira, 15 de junho de 2010

Elm - o floral da nossa missao existencial

O Elm é o floral que nos faz lembrar qual é a nossa missao nesta vida. É o floral mais profundo da nossa busa do por que viemos a este mundo.E em momentos de tristeza e sofrimentos físicos é que ficamos mais sensíveis aos questionamentos do "pelo que viemos aqui na existência".
Os florais de Bach nos reportam as origens de nosso Ser e nos lembram de que temos todo o positivo dentro de nós. Eles sao gotinhas de Luz e de Consciência que despertam a vida dentro dos nossos corpos e mobilizam o Amor, que é a maior forca do Universo.
Hoje as pessoas usam muito o Floral ELM em uma situacao que é muito comum:quando estao sobrecarregadas de obrigacoes que a vida lhes impoe e de que humanamente é impossível dar conta.
A maior vitória é conseguirmos ser o nosso EU SOU e cumprir nossa Missao pelo mundo e para o mundo.

AURICULOTERAPIA


Auriculoterapia é uma técnica de acupuntura, provavelmente um dos mais antigos métodos terapêuticos já sendo aplicada na China 3.000 anos antes de Cristo, onde utiliza pontos de acupuntura localizados no pavilhão da orelha (cerca de 200). Atuando em alguns destes pontos é possível, dependendo da necessidade, promover associação com outros pontos de acupuntura localizados em outras partes do corpo. É uma técnica em que se usa o pavilhão auricular para efetuar estímulos aproveitando o reflexo que a aurícula exerce sobre o Sistema Nervoso Central. A Auriculoterapia estimula pontos, situados na orelha, que correspondem a todos os órgãos e funções do corpo. Ao se efetuar a estimulação desses pontos, o cérebro recebe um impulso que desencadeia uma série de fenômenos físicos, relacionados com a área do corpo, produzindo equilíbrio.

A eficácia comprovada é devida não somente à relação desse tratamento com a Fisiologia Energética, mas também pelo fato da área auricular ser muito rica em nervos e ter muitas ligações com o sistema nervoso central.

Como as demais massagens Sensibilizantes, também faz uso de terminais nervosos, agora auriculares, sensibilizando-os por dor, tato, calor, frio ou pressão para que o SNC, desencadeie uma “Manutenção Preventiva” na área representada pelo ponto sensibilizado.

É importante que o estudioso das técnicas de Massagem Sensibilizante se de conta que os estímulos são feitos em Terminais “Nervosos” – TN sensíveis a “dor, tato, calor, frio e pressão” e não em terminais “Energéticos” – TE. É por isso que nas técnicas de Massagem Sensibilizante não existe a preocupação com “sedar” ou “tonificar”. Em “Auriculoterapia”, como as regiões a serem massageadas são muito pequenas, o chinês usava, e ainda usa, sementinhas, destinadas ao alimento de pássaros (Colza), sobre os pontos a serem sensibilizados provocando “dor” quando pressionadas. Alguns usam agulhas na Auriculoterapia. Não se trata de Acupuntura em Pontos Energéticos – TE e sim de se provocar “dor” em Terminais Nervosos – TN de áreas representativas de órgãos do corpo. Os que entendem isso não se preocuparão com o uso de esferas de “prata, ouro, aço ou mesmo de cristais”.

Indicações

Cada organismo reage de uma forma ao estímulo, cada pessoa é um universo único. O principal objetivo deste tratamento é promover o equilíbrio do paciente, e assim o seu bem estar.

A terapia visa estimular os pontos reflexos que têm a propriedade de restabelecer o equilíbrio alcançando resultados terapêuticos.

A Auriculoterapia é especialmente indicada quando se necessita que o paciente leve o tratamento para casa. Esta técnica possibilita também a desintoxicação causada por drogas, álcool e nicotina. No Tabagismo os pontos deverão ser pressionados, por 30 segundos cada, ao acordar, após as refeições ao deitar e toda vez que sentir-se “nervoso”.

No tratamento do Stress os pontos deverão ser pressionados toda vez que o paciente sentir-se “nervoso” ou “angustiado”.

Paralelamente aos tratamentos médicos tradicionais (alopáticos) podemos recorrer ao tratamento diferenciado de Auriculoterapia, para diversos distúrbios, dos quais citamos apenas alguns como exemplo:

  • Diabetes
  • Distúrbios Endócrinos
  • Labirintite
  • tendinite
  • Stress
  • Obesidade
  • Tabagismo
  • Ansiedade
  • TPM

Contra-indicações

Essa técnica não apresenta efeitos colaterais, como também não interfere nos fármacos, que o cliente possa estar usando.

AURICULOTERAPIA

A auriculoterapia é uma terapia chinesa, vertente da acupuntura. Ela faz o uso de sementes como a de mostarda ou agulhas na orelha para estimular os pontos do corpo.Por considerar o formato da orelha igual a um feto invertido, a terapia acredita que todos os órgãos podem ser correspondidos nessa região do corpo.

A auriculoterapia é uma terapia complementar. Geralmente, ela é utilizada após a acupuntura, como forma de estimular mais constantemente os órgãos do corpo.

“A semente ou as agulhas ficam na orelha do paciente por uma semana e são trocadas periodicamente, de acordo com a melhora da pessoa”.

É indicada para o tratamento de estresse, tabagismo, desintoxicação ou qualquer doença e para intensificar outras terapias. Mas não é recomendada para pessoas que têm sensibilidade na orelha, pois o uso da semente ou das agulhas pode causar lesões.

VENTOSATERAPIA


O uso de ventosa no Oriente foi desenvolvido com base na acupuntura. Ela se fundamenta na crença de que a resistência contra a doença pode ser alcançada, induzindo o corpo a se curar pela aplicação de ventosas em pontos dos 14 meridianos ou em nódulos de reação positiva.

Esta função reguladora é descrita no antigo Cânon de Medicina Oriental, o Nei Jing: "A acupuntura tem a função de remover a obstrução dos meridianos, regulando o Qi e o sangue, tendo como resposta deste fato à harmonização da hipoatividade e da hiperatividae das funções do corpo".

A ventosa tem a propriedade de limpar o sangue das toxinas acumuladas causadas pela sujeira da água e dos alimentos. Pois a estagnação do sangue coagulado, escuro e sujo, nos músculos das costas ou nas articulações é considerado pelas terapias Orientais como um dos elementos causadores de doenças, sendo necessário retirá-lo para que o cliente possa se restabelecer.

A ventosa é usada para o alívio de dores musculares, melhorar o sistema circulatório e até mesmo, para redução de celulite e gordura localizada. A aplicação de ventosas no corpo, além de facilitar as trocas gasosas e regular o pH sanguíneo e trazer um efeito reflexo quando aplicada em pontos de acupuntura, se usada para massagear usando um meio lubrificante (óleos aromáticos), produz o "efeito massagem".

Na estagnação da circulação sanguínea pode se formar um quadro álgico com acompanhamento de manifestações na pele e músculo, como dilatações capilares (telangiectasias), infiltrações subcutâneas, formação de cordões enrijecidos e nódulos, assim como alterações térmicas locais.

Se utilizarmos nestas manifestações pressões isquêmicas ou pressoterapia Shiatsu, a musculatura reage aumentando a sua rigidez, piorando o quadro. Nestes casos, para descongestionar o bloqueio, devemos ativar a circulação sanguínea, aplicando massagem com ventosas.

MOXABUSTAO



De história milenar, originária do norte da China, Moxabustão - 灸 - jiŭ (pinyin) significa, literalmente, "longo tempo de aplicação do fogo", uma espécie de acupuntura térmica, feita pela combustão da erva Artemisia sinensis e Artemisia vulgaris.
É uma técnica terapêutica da Medicina Tradicional Chinesa. Baseia-se nos mesmos princípios e conhecimento dos meridianos de energia trabalhados na acupunctura, sendo amplamente utilizada nos sistemas de medicina tradicional da China, Japão, Coreia, Vietname, Tibete, e Mongólia. Acredita-se que seja anterior à acupunctura.
A Moxabustão trata e previne doenças através da aplicação de calor em pontos e/ou certos regiões do corpo humano.


Preparação da erva

As folhas da Artemísia são lavadas, secas, trituradas e peneiradas, até se transformarem numa massa uniforme, semelhante a uma lã vegetal - a Moxa. Após preparada, a Moxa pode ser moldada de diversas formas para sua utilização: as mais usuais são bastão e cone.


Propriedades terapêuticas

A combustão da Artemísia tem a propriedade de aquecer profundamente. A aplicação do calor produzido pela Moxa nos pontos ou meridianos de acupunctura, remove bloqueios de energia que obstruem o seu fluxo pelos meridianos, eliminando a humidade e o frio que promovem disfunções no organismo.
O efeito do calor ou radiação infravermelha soma-se á energia Yang do corpo potencializado esse aspecto (Yang) da energia (Chi) podendo inclusive ser conduzido até ao seu extremo ou seja a transformação no aspecto oposto da energia (Yin). O calor de um dia quente pode ser amenizado com chávena de chá.
Na patologia chinesa as doenças reumáticas são classificadas como doenças do frio, da tristeza e da humidade. O frio patogénico tem características Yin e consome o Qi (Chi) Yang. Predomina no Inverno assim como as doenças do frio. Pode ser causado por contracção e estagnação ou por exposição ao frio após transpirar, ou ser apanhado pelo vento e chuva.
A depleção do Yang pode ser percebida por membros frios; palidez, diarreia com fragmentos de alimentos não digeridos nas fezes; urina límpida e abundante.
Apesar da concepção de saúde-doença e tratamento da Moxabustão e acupunctura serem essencialmente semelhantes, não se aplica a Moxabustão em todos os pontos de acupunctura. Kikuchi, na sua prática e no seu livro sobre o tema, seleccionou 78 pontos (tsubô em japonês) com indicação clínica e resultados empíricos de eficácia.
Do ponto de vista ocidental, os efeitos da aplicação de calor são as alterações no comportamento metabólico/celular (elevação), circulatório (vasodilatação), na função nervosa (relaxamento muscular e sedação).
Observe-se que do ponto de vista da fisiologia chinesa a energia Yang corresponde à tonificação (aumento da taxa metabólica) e a diminuição da rigidez e espasmo favorecem ao movimento e actividade.
Aceso, o bastão funciona como um charuto que deve ser aproximado do ponto ao qual se deseja acrescentar energia.
O calor do bastão de Moxa pode ser conduzido através da agulha de acupunctura, por aproximação da pele, ou mesmo queimando a erva directamente sobre pele (neste caso pode causar pequenas marcas de queimadura).
A técnica pode ser utilizada sozinha ou associada às práticas de acupunctura tradicional e Ventosaterapia.

domingo, 13 de junho de 2010

Estar em Si.


Será que você sabe realmente quem você é? Muitas vezes estamos dando o melhor de nós, mas não estamos satisfeitos com o que conseguimos. Isso acontece porque quando não nos conhecemos interiormente, o melhor de nós é muito pobre, muito vazio. Muita gente olha para os filhos, esposa, bens materiais e acha que a resposta está neles. Quando isso acontece, sua imagem perde a referência, você vira personagem da vida alheia. Começamos a inventar desculpas para nossas impossibilidades.

Você começa a estar em si quando percebe que tudo na sua vida depende de você, sua felicidade, sua emoção e sua razão. Estar em si é encontrar paz nos momentos difíceis da vida, é silenciar num momento de incompreensão do outro. É aceitar e compreender a visão de vida de cada pessoa, entender que todos somos iguais sim, mas com pontos de vista e escolhas diferentes.

Estar em si é não ter medo de demonstrar emoção, de chorar quando sentir vontade, com medo que as pessoas achem que você é fraco. É sentir na alma a decepção, mas ter a consciência de que o mundo não acabou. É entender que cada experiência é uma nova lição.

É aprender a curtir ao máximo as pessoas que amamos, pois a perda é inevitável. É ter a humildade para reconhecer os erros, e a sabedoria para crescer com eles. É não cobrar atitude de pessoas que você sabe que não estão preparadas para tal. É dar uma chance a si mesmo em cada novo desafio, e entender que desafios são degraus de subida e não barreiras que devem ser derrubadas. É entender que o fracasso não existe, mas sim, que você aprendeu que ?aquela? maneira de agir não funciona. Quem está em si mesmo ama livremente, sem cobranças, protegendo suavemente, sem esperar nada do outro, a não ser sua felicidade. Quem está em si mesmo, sabe que antes de amar o outro, precisa amar-se. É saber que não são os outros que lhe magoam, mas sim, que você se "deixa magoar". É prosseguir sempre, é crescer sempre, é aprender sempre, tendo a humildade suficiente para enxergar e respeitar as diferenças de comportamentos daqueles que não estão no mesmo caminho. É saber que apesar de tudo, apesar da hipocrisia de muitos, apesar do medo de amar e ser amado, apesar de muitos prenderem seus sentimentos mais puros em nome da moral e bons costumes, apesar de todas as ilusões que as pessoas enfrentam e vivem, a vida vale a pena sim. Estar em si mesmo é ter a real convicção da própria vida, da vida das pessoas, do amor que esta envolta dos corações deprimidos procurando uma brecha para brilhar sua Luz e ascender para um novo mundo. O seu mundo!

quinta-feira, 10 de junho de 2010

5 PRECEITOS BUDISTAS PARA ENCONTRAR A PAZ INTERIOR

O estabelecimento de uma relação harmoniosa e virtuosa com o mundo traz bem-estar e leveza ao coração e clareza imperturbável para a mente. Uma base virtuosa traz grande felicidade e liberação em si mesma e é a precondição para a meditação sábia. Com essa base podemos estar conscientes e não desperdiçar a extraordinária oportunidade de um nascimento humano, a oportunidade de crescer em compaixão e na compreensão verdadeira em nossa vida.

O Buda delimitou cinco áreas de moralidade básica que levam à uma vida consciente. Estas regras de treinamento não são mandamentos; são guias de direção que nos ajudam a viver mais harmoniosamente e a desenvolver a paz e o poder da mente.


Primeiro Preceito: OBSERVO O PRECEITO DE ABSTER-ME DE DESTRUIR OS SERES VIVOS.

Significa honrar toda a vida, não agir por conta do ódio ou da aversão de tal modo que cause mal a qualquer criatura viva. A idéia é trabalhar para desenvolver uma reverência e amor pela vida em todas as suas formas. Ciente do sofrimento causado pela destruição da vida, comprometo-me cultivar a compaixão e aprender meios de proteger a vida das pessoas, dos animais e das plantas. Estou determinado a não matar e a não deixar outros matar como também não desculpar qualquer ato de morte no mundo, em meu pensamento e no meu modo de vida.

Segundo Preceito: OBSERVO O PRECEITO DE ABSTER-ME DE TOMAR O QUE NÃO ME FOR DADO.

Significa que não devemos tirar o que é dos outros. Precisamos abandonar a avidez e não pegar demais.
Ciente do sofrimento causado pela exploração, injustiça social, roubo e opressão, comprometo-me cultivar a bondade amorosa e aprender meios de trabalhar para o bem estar das pessoas, animais e plantas. Comprometo-me a praticar a generosidade dividindo meu tempo, energia e recursos materiais com aqueles que estão necessitando.
Estou determinado a não roubar e não possuir o que pertença a pessoa.

Terceiro Preceito: OBSERVO O PRECEITO DE ABSTER-ME DE MÁ CONDUTA SEXUAL.

Ciente do sofrimento causado pela má conduta sexual, comprometo-me cultivar a responsabilidade e aprender meios para proteger a segurança e a integridade dos indivíduos, casais, famílias e da sociedade. A fim de preservar a minha felicidade e a dos outros estou determinado a respeitar meus compromissos e os dos outros.


Quarto Preceito: OBSERVO O PRECEITO DE ABSTER-ME DA PALAVRA FALSA.

Ciente do sofrimento causado pela fala irrefletida e também pela inabilidade em ouvir as pessoas, dedico-me a cultivar a palavra amorosa, gentil e verdadeira. Dedico-me também a escutar as pessoas com o propósito de trazer alegria e felicidade a elas e aliviar seus sofrimentos. Prometo aprender a falar a verdade, usando palavras que inspirem confiança, alegria e esperança. Evitarei proferir palavras que possam causar divisão ou discórdia numa família ou numa comunidade. Não medirei esforços para reconciliar e resolver conflitos.

Quinto Preceito: OBSERVO O PRECEITO DE ABSTER-ME DE TOMAR BEBIDAS ALCOÓLICAS QUE PERTURBAM A MENTE.

Significa que devemos evitar usar tóxicos à ponto de tornar nossa mente turva e devemos devotar nossas vidas para desenvolver a clareza e a vigilância. Temos apenas uma mente, portanto devemos cuidar bem dela. Existe milhares de alcoólatras e de pessoas que abusam das drogas. Sua inconsciência e o uso das drogas causam-lhes muita dor, assim como às suas famílias e a todos com quem mantém contato. Viver conscientemente não é fácil - significa que muitas vezes teremos que enfrentar medos e dores que desafiam nosso coração.
O quinto preceito e o terceiro estão interligados. Ambos tratam de comportamentos destrutivos e desestabilizadores. Estes preceitos são remédios certos para curar-nos. Precisamos apenas nos observar e também a aqueles próximos a nós para vermos a verdade. Nossa estabilidade, da nossa família e da sociedade não pode ser obtida sem a prática desses preceitos. Observando indivíduos e famílias que são instáveis e infelizes, veremos que muitos deles não praticam esses preceitos. Praticar esses preceitos é o melhor meio de restaurar a estabilidade no seio da família e na sociedade. Para muitas pessoas esses preceitos são fáceis de serem seguidos, para outros, muito difícil. É importante para essas pessoas juntar-se a outras e compartilhar suas experiências.

"Que todas as coisas boas fluam para você,
que todas as doenças desapareçam,
que os perigos não o alcance,
que você tenha uma vida longa e feliz".

Monge Zen Budista Getúlio Taigen

quarta-feira, 9 de junho de 2010

CROMOTERAPIA

Cromoterapia é a ciência que utiliza a vibração das cores do espectro solar para restaurar o equilíbrio físico-energético em áreas do corpo que apresentam alguma disfunção. As propriedades terapêuticas de cada cor vão agir nos campos energéticos que chamamos de Chakras, corrigindo e reativando o campo vibratório celular.

A Cromoterapia é uma terapia holística por tratar o ser como um todo. Cada cor tem uma vibração específica, atuando desde o nível físico até níveis mais sutis. A aplicação de cada cor tem como finalidade suprir carências de determinadas vibrações energéticas no corpo e neutralizar o excesso de outras.

A Cromoterapia trata de inúmeras disfunções orgânicas , tais como, pressão alta ou baixa, artero-esclerose, anemia, gastrite, úlcera, hepatite, hemorróidas, cálculos renais, Mal de Parkinson, cefaléia,bronquite, sinusite, conjuntivite e, até mesmo, queda de cabelo. Com o aparelho de Cromoterapia podem ser realizadas sessões, utilizando cores e procedimentos específicos para o tratamento de cada disfunção.

quinta-feira, 3 de junho de 2010

Pensamento do dia !

A vida não nos exige sacrifícios inatingíveis; ela nos pede que façamos nosso caminho com alegria no coração e que sejamos uma bênção para os que nos rodeiam, de forma que, se deixarmos o mundo apenas um pouquinho melhor do que era antes da nossa visita, teremos cumprido a nossa missão."
Dr. Bach